O Baptismo na Água (XX)

cmo.jpgUMA GRANDE CURIOSIDADE

    São 5 as palavras Gregas no chamado "Novo Testamento" para "baptismo". Todas elas vêm da mesma raiz:

     1. BAPTO — Trata-se dum verbo, que ocorre 3 vezes, e é sempre traduzido por "mergulhar" ou "submergir". Nunca é usado em referência quer ao baptismo espiritual, quer ao baptismo ritual. Referências: Luc. 16.24; João 13.26; Apo. 19.13.
 
     2. BAPTISTES — Nos substantivos Gregos o sufixo TES indica o agente que realiza a acção. É o epíteto usado para o percursor de Cristo, João Baptista. É usado 14 vezes e em todos os casos refere-se a João. Não tem qualquer peso doutrinal. Referências: Mat. 3.1; 11.11,12; 14.2,8; 16.14; 17.13; Mar. 6.24,25; 8.28; Luc. 7.20,28,33; 9.19.

     3. BAPTIZO — É um verbo que significa baptizar. É sempre traduzido por Baptizar, excepto em Lucas 11.38, onde é traduzido por "lavar". Ocorre 80 vezes. Eis as 80 ocorrências contidas nos seguintes 65 versículos, para serem consideradas detalhadamente: Mat. 3.6,11.11,13,14,16; 20.22,22,23,23; 28.19; Mar. 1.4,5,8,8,9; 6.14; 7.4; 10.38,38,39,39; 16.16; Luc. 3.7,12,16,16,21.21; 7.29,30; 11.38; 12.50; João 1.25,26,28,31,33,33; 3.22,23,23,26; 4.1,2; 10.40; Act. 1.5,5; 2.38,41; 8.12,13,13,16,36,38; 9.18;10.47,48; 11.16,16; 16.15,33; 18.8; 19.3,4,5; 22.16; Rom. 6.3,3; I Cor. 1.13,14,15,16,17; 10.2; 12.13; 15.29,29; Gál. 3.27.

     4. BAPTISMA — Nos substantivos Gregos o terminal MA indica o resultado da acção expressa no verbo. Esta palavra é sempre traduzida por baptismo e ocorre 22 vezes, como se segue: Mat. 3.7; 20.22,23; 21.25; Mar. 1.4; 10.38,39; 11.30; Luc. 3.3; 7.29; 12.50; 20.4; Act. 1.22; 10.37; 13.24; 18.25; 19.3,4; Rom. 6.4; Efés. 4.5; Col. 2.12; I Ped. 3.21.

     5. BAPTISMOS — Nos substantivos Gregos o terminal MOS indica a acção do verbo. Esta palavra ocorre só 4 vezes e é traduzida por lavar 3 vezes e por baptismos 1 (Heb. 6.2). Referências: Mar. 7.4,8; Heb. 6.2; 9.10.

     Em si, a palavra baptismo significa simplesmente identificar. Por exemplo, a palavra Grega BAPTO significa mergulhar em tinta ou tingir com tinta, isto é, o material torna-se permanentemente identificado com a tinta ao tomar a sua cor ou carácter. Os filhos de Israel tornaram-se identificados com Moisés como seu líder quando atravessaram o Mar Vermelho. Cristo identificou-se com a humanidade quando foi baptizado por João. Ele identificou-se completamente com o homem e o seu pecado quando foi baptizado na morte, na cruz.

     Nós tornámo-nos identificados com Ele quando pelo Espírito fomos baptizados no Seu Corpo.

     A palavra baptismo, em si, não significa imersão, apesar duma imersão poder ser um baptismo. Um objecto podia ser imerso sem ser baptizado e baptizado sem ser imerso.

     Há pelo menos 10 diferentes espécies de baptismos referidos no chamado Novo Testamento. Desses dez apenas quatro têm alguma relação com uma cerimónia de água. Ei-los:

     1. Baptismo na água propriamente dito (Luc. 3.3; Heb. 6.2; 9.1,10; Act. 2.38).

     2. Baptismo tradicional dos Judeus (com água) (Mat. 7.1-7).

     3. Baptismo de Cristo na água (Mat. 3.13-17).

     4. Baptismo pelos mortos (com água) (I Cor. 15.29). Prática de baptismo pagão. Paulo invoca-a em I Cor. 15 como argumento em prol da ressurreição. Por outras palavras, ele argumenta assim com os carnais Coríntios: "Vede que até os descrentes acreditam na ressurreição. Que vergonha para vós! 'De outra forma' porque baptizariam eles pelos mortos, se estes não ressuscitassem? Que esta pratica era pagã, é visto na forma como o apóstolo se refere aos que a cumpriram — "os" e "eles". Sempre que o apóstolo se refere a descrentes ele diz "eles". Nessa relação convém contrastar com o "nós" do Ver. 30. Ali, o apóstolo utiliza outro argumento a favor da ressurreição, a saber, diz ele por outras palavras, "Se não houvesse ressurreição nós, como crentes, colocaríamos as nossas vidas em perigo?".

     5. Baptismo em Moisés (I Cor. 10.1-4).

     6. Baptismo típico da arca de Noé (I Ped. 3.20,21).

     7. Baptismo de Cristo na morte (Luc. 12.50; Mar. 10.39).

     8 Baptismo com o Espírito Santo (Luc. 24.4; Mat. 3,11; Act. 1.4,5).

     9. Baptismo pelo Espírito Santo (I Cor. 12.13).

     10. Baptismo com fogo (Mat. 3.11). Refere-se a juízo. O Vers. 12 descreve este baptismo de juízo referindo-se ao tempo em que o Rei voltará. Não tem nada a ver com as "línguas ... como que de fogo" que apareceram em "Pentecostes. Há muitas referências a este baptismo nas Escrituras. Uma das mais familiares é II Tes. 1.7,8. O baptismo com o fogo é um baptismo pelo qual nenhum crente deseja passar nem passará. O Senhor, no fim da Grande Tribulação, virá em glória e virá para exercer juízo. Com a sua pá separará a palha para ser queimada. O baptismo com fogo é a aplicação dos juízos de Deus no julgamento dos homens então.

 
(Continua)
Carlos Oliveira